A ALFABETIZAÇÃO COMO PRÁTICA DIALÓGICA DE LEITURA E ESCRITA

Márcia Regina de Oliveira Savian, Cláudia Beatriz de Castro Nascimento Ometo

Resumo


Este artigo é o recorte de uma pesquisa mais ampla cujo objetivo foi estudar o processo de alfabetização de um grupo de alunos não alfabetizados que cursavam um 5º ano do ensino fundamental. Referenciadas nas perspectivas histórico-cultural e enunciativo-discursiva, discutiremos as concepções de linguagem e de sujeito que sustentam as perspectivas construtivista e discursiva de alfabetização, bem como a relação alfabetização/letramento. Os dados foram produzidos por audiogravações, anotações em diário de campo, planejamento e atividades de um conjunto de 192 aulas semestrais. O trabalho evidenciou que a perspectiva discursiva de alfabetização permite aos sujeitos significativo avanço no processo, uma vez que os sentidos das palavras são significados na e pela linguagem em funcionamento.


Palavras-chave


Concepções de linguagem. Concepções de sujeito. Construtivismo. Perspectiva discursiva de alfabetização. Letramento.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. 10. ed. São Paulo: Hucitec, 2002. 196 p.

________. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003. 468 p.

BANDEIRA, Pedro. A menina danadinha. São Paulo: Ática, 2007. 64 p.

CAGLIARI, Luiz Carlos; MASSINI-CAGLIARI, Gladis. Diante das letras: a escrita na alfabetização. Campinas: Mercado de Letras: Associação de Leitura do Brasil (ALB); São Paulo: Fapesp, 1999. (Coleção Leituras no Brasil) 238 p.

CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetização e linguística. 7. ed São Paulo: Scipione, 1994. 189 p.

FERREIRO, Emília. Reflexões sobre alfabetização. São Paulo: Cortez, 1995. (Coleção Questões da Nossa Época; v. 14) 104 p.

FARACO, Carlos Alberto. Pesquisa aplicada em linguagem: alguns desafios para o novo milênio. DELTA, [online], v. 17, n.spe, p. 01-09. Edição especial, 2001. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/S0102-44502001000300001.>. Acesso em: 01 set. 2013.

GERALDI, João Wanderley. Concepções de linguagem e ensino de português. In: GERALDI, João Wanderley. (Org.). O texto em sala de aula: leitura e produção. 4. ed. Cascavel: Assoeste, 1997a, p. 39-46. 136 p.

________. Portos de Passagem. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997b. 252 p.

________. Alfabetização e letramento – perguntas de um alfabetizado que lê. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2014.

GÓES, Maria Cecília Rafael de; SMOLKA, Ana Luiza Bustamante. A Criança e a Linguagem Escrita: considerações sobre a produção de textos. ALENCAR, Eunice Silva de. Novas Contribuições da Psicologia aos Processos de Ensino e Aprendizagem. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1993. 220 p.

KLEIMAN, Angela Del Carmen Bustos Romero de. Preciso ensinar o letramento? Não basta ensinar a ler e escrever? Brasília: MEC/Cefiel, 2005. 60 p.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça; ELIAS, Vanda Maria. Ler e compreender os sentidos do texto. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2010. 216 p.

MACHADO, Ana Maria. De carta em carta. São Paulo: Salamandra, 2002. 31 p.

MORTATTI, Maria do Rosário. Os sentidos da alfabetização. São Paulo: UNESP: CONPED, 2000. 372 p.

________. Educação e letramento. São Paulo: Unesp, 2004. (Coleção Paradidáticos; Série Educação) 136 p.

ROCHA, Ruth. Marcelo, marmelo, martelo. 2. ed. São Paulo: Salamandra, 2011. 64 p.

SMOLKA, Ana Luiza Bustamante. A criança na fase inicial da escrita: a alfabetização como processo discursivo. 5. ed. São Paulo: Cortez; Campinas: Ed. Unicamp, 1996. 135 p.

________ (Org.). Questões de desenvolvimento humano: práticas e sentidos. Campinas: Mercado das Letras, 2010. p. 107-128. 204 p.

VIGOTSKI, Lev Semionovitch. A formação social da mente. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1989. 168 p.

________. Pensamento e Linguagem. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003. 194 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.