O TEXTO NOS PROCESSOS DE AQUISIÇÃO DA ESCRITA

João Wanderley Geraldi

Resumo


Desde que concebido, o bebê está imerso num mundo de sons. Com uma rapidez incrível, percebe quando estes sons lhe são dirigidos, debruçando-se o adulto sobre seu berço ou tomando-o no colo e com ele conversando. E também rapidamente ele começa a distinguir, neste emaranhado de sons, o som da voz da mãe, do pai ou do seu cuidador. Qualquer família que tenha tido filhos – porque a família não se define pela união de um macho com uma fêmea e sua prole – sabe: quando o pai ou a mãe chegam do trabalho e de longe falam com seu bebê, este se movimenta, às vezes se agita e ri, mostrando que reconhece a voz de quem lhe é próximo.


Texto completo:

PDF

Referências


BÁRCENA, Fernando. La esfinge muda. El aprendizaje del dolor después de Auschwitz. Barcelona: Anthropos, 2001.

BRECHT, Bertold. Poemas e Canções. Trad. Geir Campos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

GERALDI, João Wanderley. Escrita, uso da escrita e avaliação. GERALDI, J. W. (org.). O texto na sala de aula. Cascavel: Assoeste, 1984.

GERALDI, João Wanderley. Desigualdades e diferenças: a esclerose da sensibilidade. VII Encontro Despatologiza. Unicamp, 10.10.2017. Disponível em: http://portos.in2web.com.br/passagens-blogdogeraldi Acesso em: 10 out. 2017.

KERTÉSZ, Imre. Kadish. Por uma criança não nascida. Rio de Janeiro: Imago, 1995.

WHEATCROFT, Andrew. Infiéis. O conflito entre a Cristandade e o Islã. 638-2002. Rio de Janeiro: Imago, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.