CONTRIBUIÇÕES DO ENSINO NA EDUCAÇÃO INFANTIL PARA O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO

Meire Cristina dos Santos Dangió, Lígia Márcia Martins

Resumo


O presente artigo tem como objetivo destacar o papel e as possibilidades do ensino da língua materna na educação infantil, haja vista que este segmento da educação básica corrobore maximamente o desenvolvimento de capacidades requeridas no processo de alfabetização. Considera-se que, em grande medida, muitos dos obstáculos enfrentados na aprendizagem da leitura e da escrita nos ciclos de alfabetização do ensino fundamental resultam da falta de investimentos pedagógicos prévios que levem em conta o entrelaçamento entre o desenvolvimento da linguagem oral e escrita. Portanto, coloca-se em pauta a gênese da alfabetização com destaque à formação das capacidades abstrativa e de simbolização, bem como à importância da conscientização da percepção auditiva na escuta da linguagem, tendo em vista o estabelecimento gradativo de relações cada vez mais conscientes entre a linguagem oral e escrita e, consequentemente, a superação da epilinguagem em direção à metalinguagem.

Palavras-chave


Alfabetização. Educação Infantil. Abstração. Simbolização. Consciência Fonológica.

Texto completo:

PDF

Referências


ADAMS, M. J. et al. Consciência fonológica em crianças pequenas. trad. Roberto Cataldo Costa. Adaptação à língua portuguesa: Regina Ritter Lamprecht e Adriana Corrêa Costa. Porto Alegre: Artmed, 2006.

CAPOVILLA, A. G. S.; CAPOVILLA, F. C.; SOARES, J. V. T. Consciência sintática no ensino fundamental: correlações com consciência fonológica, vocabulário, leitura e escrita. In: Psico-USF, v. 9, n.1, jan-jun, 2004. p. 39-47.

CORREA, M. C. A et al. Língua Portuguesa. In: PASQUALINI, J. C.; TSUHAKO, Y. N. (Org.), Proposta Pedagógica para a Educação Infantil do Sistema Municipal de Ensino de Bauru/SP [recurso eletrônico], 736f., 1ed. Bauru: Secretaria Municipal de Educação- Bauru, 2016, v. 1, p. 177-206. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2016.

CUNHA, V. L. O.; CAPELLINI, S. A. Habilidades metalinguísticas no processo de alfabetização de escolares com transtornos de aprendizagem. In: Revista Psicopedagogia, v. 28, n. 85, 2011. p. 85-96.

DERDYK, E. Formas de pensar o desenho: desenvolvimento do grafismo infantil. São Paulo: Editora Scipione, 1994.

ELKONIN, D. B. Psicologia do jogo. Trad. Álvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

GERMANO, G. D.; CAPELLINI, S. A. Protocolo de Avaliação das Habilidades Metafonológicas. Ribeirão Preto/SP: Book Toy, 2016.

GODOY, D. M. A. Aprendizagem inicial da leitura e da escrita no português do Brasil: influência da consciência fonológica e do método de alfabetização. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Linguística, do Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2005. 188 p.

LEMLE, M. Guia teórico do alfabetizador. São Paulo: Ática, 1988.

LEONTIEV, A.N. Actividad, conciencia, personalidad. Havana: Editorial Pueblo y educacion, 1983.

LURIA, A. R. O desenvolvimento da escrita na criança. In: VIGOTSKI, L. S.; LURIA, A. R. & LEONTIEV, A. N. In: Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem.12ª ed. São Paulo: Ícone, 2016. p. 143-189.

MALUF, M. R.; ZANELLA, M. S.; PAGNEZ, K. S. M. M. Habilidades metalinguísticas e linguagem escrita nas pesquisas brasileiras. In: Boletim de Psicologia, vol. LVI, nº 124, 2006. p. 67-92.

MARTINS, L. M. O ensino e o desenvolvimento da criança de zero a três anos. In: ARCE, A.; MARTINS, L. M. (Org.). Ensinando aos pequenos de zero a três anos.

Campinas, Alínea, 2009, p. 93-121.

MARTINS, L. M.; MARSIGLIA, A. C. G. As perspectivas construtivistas e histórico-crítica sobre o desenvolvimento da escrita. Campinas: Autores Associados, 2015.

MARTINS, M. C. F. D. “Não sei desenhar”: implicações no desvela/ampliar do desenho na adolescência – uma pesquisa com adolescentes em São Paulo. Dissertação (Mestrado em Artes) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1992. mimeo.

OTTONI. T. P. M. E. SFORNI, M. S. F. Vigotski, Leontiev e Elkonin: Subsídios teóricos para a Educação Infantil. In: XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino, número 03, 2012, Unicamp. Campinas: Junqueira e Marin Editores, 2012. p 2399-2408.

PASQUALINI, J.C.; TSUHAKO, Y. N.. (Org.). Proposta pedagógica da Educação Infantil do Sistema Municipal de Ensino de Bauru/SP.1ed. Bauru: Secretaria Municipal de Educação-Bauru, v. 1, 2016. p. 723-733.

PASQUALINI, J. C. Objetivos do ensino na educação infantil à luz da perspectiva histórico-crítica e histórico-cultural. In: Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 7, n. 1, jun. 2015. p. 200-209.

PASQUALINI, J. C.; ABRANTES, A. A. Apontamentos sobre o trabalho pedagógico no 1º ano do Ensino Fundamental à luz da periodização Histórico-Cultural do desenvolvimento sobre o trabalho. In: MESQUITA, A. M.; FANTIN, F. B.; ASBAHR, F. S. F. (Org.). Currículo comum para o ensino fundamental municipal de Bauru. 2. ed. Bauru: Prefeitura Municipal de Bauru, 2016, p. 81-93.

_______. Forma e conteúdo do ensino na educação infantil: o papel do jogo protagonizado e as contribuições da literatura infantil. In: Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 5, n. 2, dez. 2013. p. 13-24.

SOARES, M. Alfabetização: a questão dos métodos. São Paulo: Contexto, 2016.

TSUHAKO, Y. N. O ensino do desenho como linguagem: em busca da poética pessoal. 215 f., 2016. Dissertação de Mestrado (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras, Campus Marília.

VIGOTSKI, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2005

_______. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Tomo III. Madrid: Visor, 1995.

VYGOTSKY, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento na Idade Escolar. In: Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. Vigostky, L. Luria, A. Leontiev, A.N. São Paulo: Ícone, 2016, p. 103-116.

VYGOTSKY, L. S. Formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1987.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.