“DEVO MUITO À CAMINHO SUAVE”: LEMBRANÇAS DA CARTILHA

Norma Sandra de Almeida Ferreira, Ilsa do Carmo Vieira Goulart

Resumo


Este texto tem como objetivo inventariar e construir uma reflexão sobre impressões, lembranças e memórias de leitura de pessoas que foram alfabetizadas pela Cartilha Caminho Suave, no contexto escolar e não escolar. Para tal, realizamos uma pesquisa de campo, tendo como fontes documentais, entrevistas semi-estruturadas e postagens sobre a Cartilha Caminho Suave, disponibilizadas na rede social Facebook. Este trabalho, balizado pela perspectiva da História Cultural, tem como principais interlocutores: Roger Chartier, a respeito das representações e Michel de Certeau, na discussão sobre memória, entre outros autores que dialogam com a temática. As entrevistas e as postagens aguçaram a produção de boas e prazerosas lembranças, pelo ato de narrar, mobilizado em redes de sociabilidade afetiva culturalmente situada. A Cartilha Caminho Suave pode ser considerada um objeto cultural que, para a criança, materializa o mito da iniciação à sociedade escriturística e possibilita que ela se desloque para o tempo de sua infância, da convivência com pessoas e lugares queridos (pais, professora).

Palavras-chave


Memórias de leitura e escrita. Cartilha Caminho Suave. Método de alfabetização.

Texto completo:

PDF

Referências


BOSI, Ecléa. Memória e Sociedade: lembranças de velhos. 3.ed. São Paulo: Cia das Letras, 1994.

CERTEAU, Michel de. A invenção do Cotidiano. Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1990.

ENTREVISTAS. Entrevistas (1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11): cedidas para a pesquisa em julho de 2017. Ilsa do Carmo Vieira Goulart. Lavras, 2017. Entrevista realizada por questionário em formato digital, realizada para a composição deste estudo.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. Entre livros: a história do ensino da leitura e da escrita. In: MORTATTI, Maria do Rosário Longo; FRADE, Isabel Cristina Alves da Silva (Org.). História do ensino de leitura e escrita: métodos e material didático. São Paulo: Editora UNESP; Marília; Oficina Universitária (Apoio FAPESP e ABAlf), 2014.

______. Um estudo sobre “Versos para os pequeninos”, manuscrito de João Köpke, Campinas, SP, Mercado de Letras, 2017, apoio FAPESP.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida; SILVA, Lilian Lopes Martin da Silva. Relato: jogo entre presente, passado, futuro. IN: Na ponta do lápis. Olímpiada de Língua Portuguesa. São Paulo, SP. CENPEC, ano VIII, número 19, Março de 2012.

GOULART, Ilsa do Carmo Vieira. O livro: objeto de estudo e de memória de leitura. 2009. 191f. Dissertação (Mestre em Educação), Faculdade de Educação - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009. 200f.

_______. O livro nas memórias de leitura. Revista Educação e Sociedade, Campinas, v. 32, n. 115, p. 567-582, abr./jun. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302011000200018 Acesso em 31 ago. 2017.

GOULART, Ilsa do Carmo Vieira; FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. Relações que entremeiam leitor e livro: da materialidade à afetividade. Revista Álabe, Almería, Espanha, n. 12, p. 1-16, 2015. Disponível em: http://revistaalabe.com/index/alabe/article/view/278 . Acesso em: 31 ago. 2017.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Trad. Beatriz Sidou. São Paulo, SP, Centauro, 2006.

LIMA, Branca Alves. Caminho Suave. Alfabetização pela imagem. São Paulo, SP: Editora “Caminho Suave” Ltda, 1965.

MORTATTI, Maria do Rosário Longo. Os sentidos da alfabetização (São Paulo – 1876/1994). São Paulo: Editora da Unesp; Brasília: MEC/Inep/Conped, 2000.

PRADO, Adélia. Bagagem. São Paulo: Siciliano, 1993.

POLLAK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p. 3-15, jun. 1989. Disponível em: . Acesso em: 26 out. 2017.

SMOLKA, Ana Luiza Bustamant. A criança na fase inicial da escrita: a alfabetização como processo discursivo. São Paulo, Cortez: 1988.

SOARES, Magda. Letramento e Alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 25, p.5-17, jan./ abr. 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n25/n25a01.pdf Acesso em: 07 out. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.